Virtude da Obediência

Olá!! Sejam bem-vindos!

Nesta página vou deixar os desafios e dicas que já enviei sobre a Virtude da Obediência. Para receber os próximos é só se cadastrar lá no Projeto Virtude do Mês.

Se você chegou depois e não recebeu algum dos emails, estão logo abaixo.

Estamos seguindo essa ordem:

Dica # 1 – Ensinando a virtude
Dica # 2 – Memorizando a virtude
Dica #3 – Acompanhando o projeto

Dica #1 – Ensinando a virtude

E eu fiquei muito feliz em ver que algumas pessoas já começaram a ter ideias para trabalhar no assunto, como a Vanessa Estevam, que publicou no grupo da nossa academia o círculo da obediência que ela preparou, inspirada na dica do livro Pastoreando o Coração da Criança , do Tedd Tripp, e a Rafaela Becker, que postou no Instagram o mural que ela preparou para trabalhar a obediência com o pequeno, usando a memorização do nosso Cartão das Virtudes. Eu realmente acho o máximo ver as iniciativas de vocês, gente! 

Bom, então vamos à nossa Dica #1 para trabalhar a virtude com as crianças: a Hora do Ensino da Virtude.

Uma coisa que eu sempre falo no nosso curso A Educação do Caráter e os Estudos é que nós não podemos presumir que a criança já saiba algo até termos ensinado isso – e ensinado muito bem. Muitas vezes nós pensamos que por ser algo que estamos sempre falando, a criança já sabe como fazer ou até mesmo o que de fato significa obedecer. Mas na verdade não é assim. 

É por isso que o primeiro desafio que eu tenho para vocês é começar promovendo essa hora do ensino da virtude – um momento para ensinar bem o que é a virtude da obediência, por que ela é importante e quais são as atitudes de uma criança obediente.

Também é o momento de deixar claro para a criança que esta é uma virtude que será trabalhada com ela, como um alvo que ela deve desejar alcançar.

Pois bem! Vamos então a algumas dicas práticas para a Hora do Ensino da Virtude:

1 – Escolha um horário em que você pode conversar com a criança tranquilamente, sem outras atividades concorrendo com a atenção e, de preferência, com a participação de toda a família.
2 – Comece com uma história! As histórias são a melhor forma de tornar um princípio em algo claro e concreto, além de permitir que a criança imagine o acontecimento, se coloque no lugar da personagem e guarde muito mais profundamente no coração a verdade que desejamos ensinar. (Selecionei um trecho de uma história para quem estiver buscando uma ideia. Conto logo mais. 🙂
3 – Converse sobre a história e sobre a atitude da personagem quanto à obediência – e suas consequências.
4 – Explique o que é a obediência e que a obediência aos pais é, antes de tudo, obediência a Deus. Como eu disse no texto que enviei para vocês sobre autoridade, muitas vezes nós fazemos parecer que estamos exigindo obediência porque é algo que nós queremos, ou obedecer para deixar a mamãe feliz; e o que precisa ficar claro para a criança é que nós ficamos felizes sim, mas o principal é que ela se lembre que está obedecendo a um mandamento deixado por Deus e ao obedecer está demonstrando amor a Ele e que Ele abençoa ao filho que obedece. Você pode usar textos como Efésios 6.1-3 ou Provérbios 6.20-23.
5 – Explique o que é, exatamente, obedecer. Caso esteja trabalhando com os Cartões das Virtudes , leia a definição do cartão e destaque a parte “Sempre atendo ao que meus pais pedem na primeira vez em que sou chamado!” Isso quer dizer que ficar dizendo “já vou!” ou “espera” não é obedecer.
6 – Estabeleça um propósito a ser trabalhado, como uma meta. Por exemplo, pode ser: vou obedecer na primeira vez que meu pai ou minha mãe chamaremEu sempre acho bem melhor estabelecer uma regra só porque fica fácil tanto para a criança ter sempre em mente quanto para nós cobrarmos depois. 
7 – Estabeleça a consequência. O que acontecerá quando a criança desobedecer? Essa parte é bem importante porque se colocamos uma consequência enorme não vamos dar conta de colocar em prática cada vez que a criança desobedece e logo nós mesmos desistimos de fazer isso. Uma cartelinha com adesivos pode ser uma forma mais fácil de deixar visível e trabalhar as consequências (mas vou deixar para falar sobre isso em outro email porque esse já ficou muito grande. rsrs)

Bom, eu disse que tinha separado uma história, lembra? Olha só…. Se você está ensinando uma criança pequena, se prepare porque tenho uma novidade do Programa Valores e Virtudes sobre Obediência que eu acho que vocês vão gostar. 😀 Conto amanhã. 
Por enquanto, selecionei um trecho do livro “O jovem fazendeiro” que eu acho super legal para trabalhar essa questão da obediência. É só copiar e usar:

Ver a história sobre Obediência

Dica #2 – Memorizando a virtude

Hoje quero dar mais uma dica para quem está trabalhando a obediência com as crianças: a memorização. 

Na verdade, você vai perceber que em todas as virtudes eu procuro trabalhar uma sequência parecida. O primeiro passo é ensinar sobre a virtude que eu desejo trabalhar, como comentei com vocês na semana passada. A segunda é desafiar a criança a memorizar o significado daquela virtude.

Como eu comentei na Dica #1, muitas vezes temos a expectativa de que a criança deve ter essa ou aquela atitude, quando ainda não ensinamos realmente esperamos dela. Seguindo a mesma lógica, quero lembrar um outro engano que não podemos cometer: achar que entender significa lembrar.

Quando eu era criança minha mãe costumava usar algumas daquelas frases típicas de mãe. Uma delas era: “Parece que entrou por um ouvido e saiu pelo outro!” e a outra era: “Mas será que eu estou falando grego?” (E você, já usou essas frases? rs) Apesar do que dizem os teóricos modernos da educação, existe um princípio pedagógico mais antigo do que andar pra trás (para usar outra expressão da minha mãe) e no qual eu acredito muito: não basta entender; é preciso saber de cor.

Dizem que a palavra “decorar“, ou saber “de cor”, significa “saber com o coração” (de cor = de core = de coração). Tanto que no inglês, para dizer que decoraram algo, as pessoas dizem “I know it by heart”, literalmente: eu sei isso de coração.  É por isso que ensinar a criança a memorizar os princípios, verdades e ensinamentos é tão importante. Porque precisa estar ali no coração, pronto para ser “acessado” sempre que precisar. Bonito, né? 

Esse, aliás, é um dos princípios bíblicos da educação de crianças. Lembra daquele texto maravilhoso de Deuteronômio, em que os pais são ensinados a repetir os princípios de Deus para as crianças o tempo todo, enquanto caminham, enquanto estão trabalhando, enquanto estão assentados em casa? Pois bem, por isso meu desafio para você essa semana é instituir a memorização do ensino da obediência com seu filho (ou filhos). 

Primeiro, sugiro memorizar um texto bíblico sobre obediência. Para as crianças pequenas pode ser uma parte de um dos versículos que trata sobre isso. Segundo, sugiro memorizar o significado da virtude da obediência. Quando fiz os cartõezinhos das virtudes o propósito era esse mesmo. A memorização. Aliás eles já estão até com rima para ajudar a trabalhar a consciência fonológica. 🙂 

E então? Aceitam o desafio de colocar a criançada para aprender “de coração” as verdades que queremos que elas aprendam a amar?  Que tal depois fazermos uma “apresentação online” com os videos das crianças recitando de cor? 🙂  

Depois me escrevam contando como tem sido trabalhar essa virtude com suas crianças. 

Ah, caso você ainda não tenha os cartões, é só adquirir o seu e depois imprimir para usar com as crianças:

Comprar cartões das virtudes

Dica #3 – Acompanhando o processo

Hoje eu tenho uma pergunta: já aconteceu com você de começar um projeto novo com uma animação enorme e depois desanimar no meio do caminho? Pois bem, a dica que eu tenho hoje tem relação com esse “fenômeno” da nossa vida. 

Mas antes eu queria saber: como tem sido sua experiência de focar na questão da obediência esse mês? Você conseguiu criar um momento especial para ensinar sobre a obediência? E a memorização, como está? 🙂 

Bom, a dica que eu quero dar hoje é sobre a questão do acompanhamento do projeto.

Na verdade tudo eu transformo em projeto porque, você sabe, eu sou professora. Então se tem um objetivo e estratégias para alcançar esse objetivo, para mim já é um projeto. rs 

Mas muitas vezes eu já me deparei com essa situação de desanimar de ideias super legais que eu tinha para trabalhar com as crianças. No começo tudo estava ótimo, mas quando eu via perdia um dia sem fazer aquilo, depois outro, e outro… E quando via já tinha deixado para lá. 

Foi quando eu comecei a entender que não basta ter ideias interessantes; é preciso torná-las em ideias realizáveis. Então minha luta sempre é tentar simplificar minhas ideias naturalmente complicadas e cheias de detalhes, para transformá-las em algo que eu de fato consiga fazer e acompanhar. 

Não sei se você se lembra, mas quanto à questão da obediência, eu comentei que considero importante escolher uma regra simples. Isso facilita esse acompanhamento do projeto, que envolve verificar, no final do dia, se a criança cumpriu, e estabelecer a consequência caso ela não cumpra. 

Pois bem, então supondo que você tenha estabelecido como regra, por exemplo: “obedecer ao que os pais pedem na primeira vez em que for chamado”, como diz o versinho do nosso cartão das virtudes . 

Uma forma de não deixar a ideia se perder é construir um muralzinho que torne o acompanhamento bem visível. Eu gosto de usar o formato calendário. Algumas pessoas preferem fazer uma sequência de quadradinhos formando um caminho.  O importante é que seja algo que fica bem visível e que você pode ir marcando todos os dias quando a regra foi cumprida. 

Duas dicas extras:

 1 – Recompensa. Pense em uma recompensa para a criança que conseguir cumprir todos os dias o que foi combinado. Pode ser um passeio no parque ou algo simples de realizar, mas que valorize o esforço dela em obedecer todos os dias. (Lembrando que, no caso da obediência, deve sempre haver uma consequência para os momentos em que a criança desobedece. Não fazemos recompensa para a criança que obedece, e sim uma recompensa para quem conseguiu cumprir o combinado todos os dias). Você pode marcar no final dos quadradinhos a recompensa, para ajudar a manter a motivação.

 2 – Período. Para crianças menores, ou para aquelas com quem você nunca trabalhou antes a obediência assim, talvez seria interessante fazer um mural de apenas uma semana, não um mês. É mais motivador para a criança um período curto de tempo.  Para enriquecer mais ainda o nosso projeto, fiz um modelinho de mural que vocês podem usar. Está em formato PDF lá no blog. 🙂

Ver o modelo de mural