Gramática para decorar x Gramática para viver

“Fabiano também não sabia falar. Às vezes largava nomes arrevesados, por embromação. Via perfeitamente que tudo era besteira. Não podia arrumar o que tinha no interior. Se pudesse…”

Eu nunca me esqueço a estranha sensação de prisão que senti ao ler esse trecho de Vidas Secas, de Graciliano Ramos. Não por saber que Fabiano estava na cadeia nesse momento da história, mas pela angústia que ele sentia por não ser capaz de pensar direito nem sequer organizar seus sentimentos quando lhe faltavam as palavras.

Lembrei daquela reflexão de C.S. Lewis sobre quanto percebemos que devemos aos autores que lemos no momento em que conversamos com algum amigo literariamente iletrado: “Ele pode ser uma pessoa de enorme bondade e bom senso, mas habita num mundo minúsculo, no qual nos sentiríamos sufocados.”

Sempre ouvimos que a Linguagem é importante para nos ajudar a nos expressar, nos comunicar, mas naquele dia eu entendi essa lógica mais profunda. 

Eu li este trecho de Vidas Secas por indicação do William Campos da Cruz. Eu o havia convidado para dar uma aula especial para os meus alunos e ele me perguntou se poderia usar com as crianças esse texto para explicar como o domínio da linguagem muda nossa forma de pensar, entender e viver no mundo. O domínio da Linguagem, nesse sentido, nos liberta. 

É uma pena que nossa formação nessa área tenha sido, geralmente, tão pobre. Passamos anos e anos decorando regras gramaticais soltas sem conhecer a beleza da lógica da Gramática. Estudamos tanto sem que isso nos permita ordenar nosso pensamento e organizar o que temos em nosso interior. Ano passado, na Academia, como muitas vezes me referi a questões da Gramática para explicar algum assunto, os pais começaram a me pedir para incluir um curso sobre Gramática e Linguagem aqui.

Conversei com o William, que não só entende muito mais disso do que eu como também é apaixonado pela Gramática e sua beleza (essa é, aliás, a razão por que o perfil que ele criou no Instagram se chama Gramática na Vida). Pois bem! Ele aceitou e aqui estamos! 

Então este ano teremos, na Academia Educar com Sapiência, o tão esperado curso para os pais que querem ensinar Gramática ou simplesmente trabalhar sua autoformação para poder pensar com clareza, ler melhor e ordenar seus pensamentos para poder educar melhor seus filhos e viver de forma mais sábia. 

Ele apresenta seu curso:

A cena se repete vez após vez: as crianças trazem lição para a casa, pedem sua ajuda e a mágica acontece. Você se sente útil por ajudar seu filho com o dever, e as crianças se derretem de admiração por aquele que o ensina. Um dia, no entanto, uma sombra ameaça desfazer o encanto – você se depara com uma lição que já não domina. Corre à internet, procura sugestões, conselhos, dicas e macetes que lhes permitam assimilar RAPIDAMENTE o conteúdo a fim de ajudar o filho. O objetivo é simples: resolver o problema que vocês têm naquele momento.

Essa abordagem faz efeito por algum tempo, mas pouco a pouco vai deixando de funcionar. Por quê? Simples: em todo conhecimento há uma espécie de hierarquia em que é imprescindível dominar um assunto anterior para poder prosseguir para o que vem depois. Se o que se perdeu foi justamente a relação entre um assunto e outro, sinto muito: o pragmatismo, a pressa e a avidez não ajudarão! Ao contrário, darão lugar à frustração e à ansiedade. Nessa hora, vale a pena respirar fundo e voltar a percorrer o trajeto, para procurar, afinal, o que foi deixado para trás.

Nos estudos de língua portuguesa, isso acontece com uma frequência espantosa. Adultos e crianças ficam de cabelo em pé quando ouvem algo como “Oração Subordinada Substantiva Subjetiva”. Quem sabe o que é um substantivo, uma oração, um sujeito e uma oração subordinada não demorará nada para identificar as peças do quebra-cabeças. Quem não sabe verá apenas um borrão.

Isso vale para inúmeros outros tópicos: sem saber o que é uma sílaba tônica ou um ditongo, será impossível aprender as regras de acentuação; sem ter noções claras do que é REGÊNCIA VERBAL e do que é uma LOCUÇÃO ADVERBIAL será impossível identificar com segurança quando se deve ou não usar o acento grave (indicativo de crase); sem saber o que é um adjetivo ou um advérbio será mais difícil entender o que é um adjunto adnominal ou adverbial.

Este curso pretende ser essa volta à estrada percorrida, atentando, sobretudo, ao que relaciona um ponto ao outro. O conteúdo está organizado em quatro blocos:

(1) Antes de falar de Gramática, faremos alguns exercícios de observação de nossa própria EXPERIÊNCIA DA LINGUAGEM. A língua não diz respeito apenas à comunicação com os outros; ela também põe ordem em nossa mente.

(2) FONÉTICA: Esse fenômeno maravilhoso que é a língua manifesta-se, antes de tudo, como uma combinação de certos ruídos que, bem ordenados, tornam-se dotados de sentido!

(3) MORFOLOGIA: Depois, veremos como a combinação de pequenos “fragmentos de palavra” (os morfemas) permite que criemos uma verdadeira profusão de palavras novas. Além disso, veremos que as palavras se comportam de maneira diferente e, por isso mesmo, são guardadas em caixinhas diferentes, que, tecnicamente, recebem o nome de classes de palavras.

(4) SINTAXE: Depois de falar das palavras individualmente, será a hora de falar delas em suas relações umas com as outras.

(5) Para finalizar, amarramos uma ponta à outra e voltamos a falar de nossa experiência da linguagem como ordenadora do pensamento. A expectativa é que, ao final, tenhamos a sensação de conhecer a estrada inteira, e não apenas alguns pontos esparsos do caminho. Vamos juntos?!

Abaixo você pode ver a grade desse curso.

As inscrições para o Acesso Premium 2020 vão até o dia 06/03/2020.

William Campos da Cruz é tradutor, editor e revisor de textos com mais de dez anos de experiência no mercado editorial. Traduziu para a língua portuguesa autores como Fulton Sheen, Joe Rigney, Hans Rookmaaker e Michael Reeves. Em literatura infantil, fez parte da equipe que traduziu “O Fabuloso Livro Azul” e “O Fabuloso Livro Vermelho”. Também foi o prefaciador do livro “Ensinando o Trivium”, vol. 2, de Harvey e Laurie Bluedorn.

3 comentários em “Gramática para decorar x Gramática para viver

    1. Oi, Letícia!
      Tudo bem?
      Vamos abrir as vendas do módulo 1 no dia 09/03 e avisaremos por email (cadastre-se para receber nossas atualizações); esse módulo de Gramática é o curso 3 e nós estudaremos na Academia em junho, então as vendas dele devem ocorrer no começo de junho.

      Curtir

Deixe uma resposta para Letícia Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s